Queda de cabelo pode ser consequência do estresse causado pelo coronavírus

Em meio à pandemia, mais pessoas tem se queixado da perda de cabelo. Casos estão associados a quem foi ou não diagnosticado com a doença.

0

Hospitalizada durante 12 dias em abril, com sintomas de Covid-19, Annrene Rowe relatou ao The New York Times que, após a doença,  observou uma região de calvície em seu couro cabeludo.  Além da moradora da Flórida, Estados Unidos, muitas pessoas sobreviventes do vírus relatam a perda de cabelo, como os pacientes nos consultórios médicos.

E tudo indica que existe uma relação com a pandemia do novo coronavírus. A condição tem refletido tanto nas pessoas que foram diagnosticadas com a doença quanto naquelas que não a contraíram.

Em contextos normais, alguns indivíduos perdem cabelo diante de uma experiência desgastante, como doença, cirurgia ou trauma emocional.

Causas da queda de cabelo

Aperda de cabelo tem sido associada ao estresse psicológico para se livrar da Covid-19. A queda do fios também está relacionada ao estresse emocional, em função do desemprego, pressão financeira, morte de familiares e demais casos devastadores, todos relacionados a pandemia.

“Existem muitos estresses em muitos aspectos que envolvem esta pandemia e estamos notando uma perda de cabelo porque grande parte do estresse não desaparece”, relata a professora de dermatologia na Cleveland Clinic, Shilpi Khetarpal.

Segundo a profissional, antes da pandemia, ao longo de semanas, a médica não recebia nenhum paciente queixando-se da perda de cabelo em igual condição. Hoje, aproximadamente 20 pacientes por semana vão até o consultório com essa reclamação.

Sintomas pós-Covid-19

De acordo com um levantamento dos sintomas pós-Covid-19, das 1.567 pessoas do grupo sobreviventes à doença, 423 delas descreveram a perda de cabelo inabitual. O estudo foi realizado em julho, pelo Survivor Corps e Natalie Lambert, professora da Escola de Medicina de Indiana, Estados Unidos.

Inclusive, a diretora do departamento de dermatologia na Icahn School of Medicine, Emma Guttman-Yassky, afirmou tratar equipe de médicos e colaboradores de hospitais que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 por perda de cabelo. “Alguns tiveram covid, mas não foram todos. É o estresse provocado pela situação. Eles estão afastados das suas famílias. Trabalham muitas horas”, salienta.

Em relação aos pacientes, o quadro deve ser temporário. Já no caso dos profissionais, o problema pode persistir por meses. Segundo os especialistas, existem dois tipos de perda de cabelo que a pandemia estaria provocando:

  1. Um deles é a doença chamada eflúvio telógeno, em que as pessoas perdem mais fios de cabelo que o normal (50 a 100 fios por dia).
  2. Outro problema é a alopecia areata, onde o sistema imunológico acomete os folículos capilares e inicia com uma pequena perda na cabeça ou barba, afirma o psiquiatra e dermatologista na Central Michigan University, Mohammad Jafferany.

Tratamento

De acordo com Khetarpal, a perda de cabelo por si própria acarreta em estresse, principalmente para as mulheres. Alguns profissionais indicam o uso de um medicamento para crescimento dos fios, o Minoxidil. Porém, de acordo com Hogan, a aplicação do antídoto no começo pode acarretar em mais queda de cabelo antes de surtir efeito.

Em algumas ocasiões, o problema é sanado sem tratamento, mas são inseridas algumas injeções esteroides. Para outros, ele pode passar a ser permanente, inclusive se não tratado de modo precoce.  Outra recomendação feita por Jafferany é a psicoterapia.

Leia ainda: 6 dicas para restaurar o volume dos cabelos finos

Deixe um comentário

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More