Óleo de coco: tipo e formas de uso

No post de hoje, traremos as variedades desse óleo vegetal muito indicado para tratamento dos cabelos, além das formas de uso.

0

Olá, meninas! Tudo bem? Em diversos posts, vocês leram recomendações sobre óleos vegetais, com destaque para o óleo de coco. Inclusive, já tratamos dele com maiores detalhes.

Hoje, vamos falar sobre as variedades desse óleo e as diferentes formas de uso. Assim, você poderá identificar aquilo que mais se encaixar no seu perfil e necessidade.

O óleo de coco

O óleo de coco tem propriedades hidrofóbicas e de redução da perda proteica (por se ligar às moléculas de proteínas, sustentando-as), além de reduzir o inchaço capilar, extremamente danoso aos cabelos por causar fadiga às fibras capilares e enfraquecê-las.

Seu poder hidratante, como na pele, é o de reter a umidade, fechando as cutículas dos fios, dando brilho e evitando pontas duplas. É um dos poucos óleos vegetais capazes de penetrar na fibra capilar, repondo os lipídios necessários.

Óleo de coco natural

Além disso, age como controlador do pH e da oleosidade ao ser aplicado no couro cabeludo, devolvendo a oleosidade natural dos fios e desobstruindo os folículos capilares.

Isso sem falar na já reforçada ação antibactericida, capaz de tratar caspa, coceiras, dentre outros problemas.

O uso do óleo de coco é indicado para qualquer tipo de cabelo, desde os cacheados (que sente os cachos mais definidos), lisos (percebem fios mais alinhados) até os ressecados (melhora em toda a extensão dos fios pela ação condicionante e proteção aos fios danificados).

Tipos de óleo de coco

O óleo de coco é extraído da fruta e podem ser encontrados em duas formas: refinada e extravirgem. A primeira é feita a partir do coco seco; já a segunda é feita com o fruto ainda fresco, portanto, precisa ser extraído em até 48 horas após a colheita.

Normalmente, é encontrado em estado líquido quando em temperatura ambiente, passando para sólido em branco ao ser submetido à baixas temperaturas. Entre os dois tipos, entretanto, não há nenhuma diferença em relação à qualidade e eficácia de resultados. A distinção está, apenas, na extração do óleo.

O ideal é que a origem do fruto seja de uma plantação orgânica devidamente certificada, garantindo os benefícios desse óleo funcional.

Óleo de coco

Mesmo que o processo de plantio, extração e prensa sejam similares (são prensados a frio), um produto só é rotulado como orgânico mediante a ausência de agrotóxicos e sementes não manipuladas, o que garante a qualidade do produto.

É importante frisar que, ao adquirir o óleo de coco, seja observada a sua composição que deve ser 100% pura.

A mistura com outras substâncias, como silicones e óleo mineral, por exemplo, anula as propriedades do derivado da castanha. Portanto, mais do que a diferença entre virgem e extravirgem, o que deve ser observado é a composição.

Na hora da compra, observe se constam as seguintes informações: sem conservantes e produtos químicos; sem modificações; acidez abaixo de 0,5% (indica que não é refinado).

E por que isso é importante? Justamente por não conter os materiais de que falamos há pouco – silicone e óleo mineral, que não levam nutrientes aos fios, sem são indicados para a umectação por pesá-los.

Usos do óleo de coco

O óleo de coco é, largamente, utilizado na alimentação, sendo o mais indicado devido ao fato de ser o mais saudável entre os óleos vegetais.

Além disso, também tem uso indicado para a pele, como excelente demaquilante, bem como no combate às olheiras, estimulante na produção de colágeno, sem deixar a pele oleosa.

Nos cabelos, pode ser usado na umectação, podendo ser aplicado em toda a extensão dos fios. Para utilizá-lo, o óleo de coco precisa ter passado para o estado líquido, condição obtida derretendo em banho-maria. Nesse caso, há quatro tipos de umectação:

Umectação Tradicional

É a mais conhecida e consiste em aplicar o óleo em toda a extensão dos cabelos secos, mecha por mecha, incluindo a raiz. É preciso deixar agir por uma hora até lavar. O ideal é que você passe uma mão de shampoo transparente e a outra, de shampoo hidratante. Finalize com um condicionador e, melhor ainda, com uma máscara de ação rápida.

Umectação Inversa

Tratamento muito eficiente, também feito com o óleo de coco. Você não precisa lavar os cabelos, basta umedecê-los, tirando o excesso de água com a toalha.

Em um recipiente, misture uma colher (sopa) de óleo de coco (não se esqueça de derreter) a uma colher (sopa) de máscara de hidratação. Aplique nos cabelos, mecha por mecha, deixando agir por 30 minutos até lavar e finalizar. Neste tratamento, não é recomendável passar o produto na raiz.

Óleos umectação

Óleo de coco nas pontas dos cabelos

É uma espécie de mini-umectação e tem o objetivo de proteger os cabelos dos efeitos do shampoo. O motivo é a concentração de sulfato presente nesses produtos.

Como as pontas, normalmente, são mais secas por não sofrer com o excesso de sebo, você tira a oleosidade da raiz e o óleo das pontas, durante a lavagem.

Antes de lavar os cabelos, aplique meia colher (sopa) do óleo de coco nos cabelos, deixando agir por 20 minutos. Passado esse tempo, é só lavar os cabelos, normalmente. Seus fios superarão o problema das pontas secas.

Potencializador a máscara de hidratação

Uma dica excelente, principalmente para as meninas de cabelos cacheados! Para potencializar sua máscara de hidratação, basta adicionar algumas gotinhas do óleo de coco na porção que for usar da máscara, misturando bem.

Com os cabelos lavados, aplique a mistura em toda a extensão dos fios, deixando agir pelo tempo recomendado na embalagem do produto.

Você pode finalizar, após o enxague, com um condicionador ou apenas lavar com água. Seu cabelo já estará nutrido e hidratado! E é bom para os cachos por deixa-los mais definidos! Um sucesso.

Mascara capilar

Onde comprar o óleo de coco?

O óleo de coco é fácil de ser encontrado, podendo ser adquirido em casas de produtos naturais e em alguns supermercados. Apenas, lembre-se de verificar se o óleo é 100% puro. O ideal é que o consumo seja feito em até 45 dias após aberto, isso para consumo culinário.

Para uso na cosmética, o tempo de vida útil é um pouco maior, apenas acompanhando a estrutura do óleo, não aplicando caso esteja com o aspecto rançoso, sem cheiro ou com a cor já alterada. Caso esteja nesse ponto, deve ser, imediatamente, descartado!

Existem algumas novidades, como óleo de coco com aroma de frutas, muito indicada para quem é sensível ao cheiro do óleo original. A boa é que, apesar do aroma, a fórmula não é alterada com a adição da fruta, como laranja e limão.

Uma segunda novidade é o óleo em spray, que pode ser consumido na alimentação (adicionado em sucos e saladas), na pele e cabelos (pensa no quanto fica mais fácil para aplicar nos fios). Nesse caso, pode ser usado como pré-shampoo, aplicando gotinhas nas pontas antes da lavagem. Nesse formato, o óleo é extravirgem.

Abaixo, alguns vídeos explicando as formas de aplicação do óleo de coco nos cabelos:

Três formas de aplicar o óleo de coco nos cabelos:

Como usar óleo de coco nos cabelos (vídeo da blogueira Julia Doorman):

Por hoje, é só, meninas! Esperamos que tenham gostado das dicas complementares do óleo de coco! Vamos adorar que vocês compartilhem os resultados em vocês, então, ao testarem alguma delas, contem pra gente.

Beijos e até mais!

Óleo de coco: tipo e formas de uso
Avalie este artigo

você pode gostar também