Descubra por que você deve parar de usar óleo de coco puro nos cabelos

Embora seja um ingrediente natural popular, alguns motivos fazem com que a substância não seja a melhor alternativa para recuperação dos fios.

0

Os ingredientes caseiros se tornaram febre para os cuidados com os cabelos, sendo o óleo de coco um dos mais populares. Com várias funções e indicado para diferentes locais do corpo, a substância é usada para hidratação da pele, em substituição aos cremes para raspar os pelos das pernas e até para combater os efeitos colaterais da baixa umidade.

Há anos, personalidades como Kourtney Kardashian e Miranda Kerr têm destacado os benefícios do óleo natural. Inclusive, algumas marcas lançaram produtos com a mistura.

Mas assim como qualquer outro ingrediente, o óleo de coco possui prós e contras. Em uma entrevista, o especialista em cabelos, Ross Charles, mencionou alguns mitos em torno da substância.

Resultados do óleo de coco no cabelo

O óleo de coco é abundante em ácido láurico, um ácido graxo que incorpora na haste do cabelo e cobre o fio, o transformando em repelente a água.  Por consequência disso, reduz o frizz em ambientes úmidos, o que representa a aparência mais saudável no visual.

Cabelos com frizz

Entretanto, o cabelo é constituído de queratina, uma espécie de proteína. Nela, há feixes de aminoácidos que trabalham para os cabelos ficarem hidratados e saudáveis.

Dessa forma, caso os seus fios tenham rompido as ligações de queratina, em função do calor, o óleo de coco não irá sanar o problema. Ao contrário, ele pode piorar, isso porque “o óleo impede que os tratamentos penetrem na haste do cabelo”, frisa Ross Charles.

“Os óleos para o cabelo – e especialmente o óleo de coco – tendem a se infiltrar em cada pequeno orifício na haste dos fios e disfarçam o problema real para agir como uma solução rápida”, ressalta o hair stylist. Em maior intervalo de tempo, a substância não hidrata e nem melhora os fios.

Mas, se ainda assim você decida fazer uso do óleo de coco, é relevante escolher o tipo extra virgem. Esse tipo de óleo não possui alvejante ou demais produtos químicos, prejudiciais ao couro cabeludo e propícios a irritações e alergias.

Também é importante não usar fontes de calor após o tratamento. Mesmo depois de lavados, os cabelos podem ficar com resíduos do óleo, que somado ao calor do secador, chapinha ou babyliss pode literalmente fritar os fios, deixando-os ainda mais ressecados e com pontas duplas. Prefira lavar durante o dia, deixando secar ao natura.

Leia ainda:  Tratamento capilar – Como fazer tratamentos no cabelo em casa

Você pode gostar
você pode gostar também
Deixe um comentário

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More