Caspa, nunca mais!

Conheça medidas que podem eliminar, de vez, o problema, além de terapias que tratam este e outros problemas capilares.

0

Olá! Não tem jeito, um dos problemas capilares, infelizmente, mais democráticos é a caspa! Atingindo homens e mulheres de todos os tipos de cabelo, incomoda na mesma proporção em que ocorre com frequência.

Caspa cabelo

Conhecida, também, sob a péssima alcunha de dermatite seborreica (ou, seborreia, para os mais íntimos), a caspa pode ser causada por diversos fatores, desde maus hábitos até problemas de saúde.

Ok, mas, como tratar o problema? Até porque ninguém merece sair coçando a cabeça por aí, deixando cair aqueles pozinhos que não causam nenhuma boa impressão!

No post de hoje, traremos algumas dicas e, para o caso de não trazer efeitos, terapias (sob a recomendação médica) que podem ajudar a resolver o problema.

Eliminando a caspa em dez passos

1- O primeiro dos passos é a lavagem correta dos cabelos. O ideal é que eles sejam lavados em dias alternados (um dia sim, outro não). Durante o processo, aplique o shampoo anticaspa no couro cabeludo (não estenda para os fios) e deixe agir por dois minutos. Faça pequenos movimentos circulares, sem forçar para evitar descamações.

Enxágue para, em seguida, fazer uma nova aplicação de shampoo, mas, desta vez, usando um convencional. Finalize com seu condicionador, aplicando abaixo da linha da orelha. É bom lembrar que a temperatura da água deve ser de morna a fria.

2- Cautela com os shampoos secos. Um socorrista nos casos de emergência em que é necessário disfarçar a oleosidade, este produto não pode ser usado como substituto do shampoo convencional por não executar a limpeza profunda necessária. Os shampoos secos são feitos à base de amido, que remove a oleosidade, mas, não a sujeira.

3- Após lavar, seque bem os cabelos. Deixá-los úmidos por muito tempo (principalmente, ir dormir com os cabelos molhados) propicia a proliferação e fungos, o que pode aumentar a descamação e dificulta o tratamento contra a caspa.

Ao secar, prefira temperaturas amenas do secador, evitando o estímulo de produção de óleo na região do couro cabeludo (o mesmo conceito aplicado à lavagem). Ah, e evite usar, por tempo prolongado, acessórios como chapéus e bonés. Estes aumentam a transpiração e o abafamento, provocando fungos e caspa.

4- Analise o momento de aplicar tratamentos químicos. Suas fórmulas podem aumentar a descamação e, como consequência, a caspa, por acelerar a troca de pele (cujo ciclo normal é de 21 dias, de forma não perceptível) devido aos componentes agressivos.

5- Maneire no gel. O produto fecha o folículo capilar, piorando a descamação e a oleosidade.

6- Acerte na escolha do anticaspa. As opções no mercado são muitas, por isso, você precisa analisar qual se encaixa melhor ao seu tipo de cabelo, sob a orientação de um dermatologista. No caso de caspas provocadas por fungos, o recomendado é o uso dos produtos com antifúngicos, como o cetaconazol .

Para reduzir a descamação, os melhores são aqueles feitos a base de coaltar e zinco. Também há os produtos de fórmulas mais naturais, como aqueles com óleo de melaleuca, que tem ação antifúngica e combate a caspa. O enxofre, também, se apresenta como forte aliado.

7- Óleos naturais são ótimos. Claro, como sempre! Estes produtos regulam a produção de glândula sebácea, que reduz à propensão à caspa. Aqueles feitos de argila, rícino (diluído em óleo de amêndoa, por ser mais espesso) e melaleuca acalmam a inflamação do couro cabeludo causada pela caspa. Dentre estes, o óleo de rícino é muito indicado por ter menor ação adstringente, o que combate fundos e oleosidade.

8- Observe a incidência de doenças de pele e saúde, como obesidade, hormônios, estresse, psoríase, artrite e diabetes. Todos esses quadros podem ocasionar a caspa, portanto, é importante cuidar deles.

9- Procure um dermatologista. É o profissional mais indicado para identificar a raiz do problema da caspa e como tratar, ainda mais na detecção de agravantes, como coceira intensa, vermelhidão, queda de cabelo e cascas mais grossas.

10- Medicamentos. Como veremos a seguir, muitas vezes, o dermatologista pode recomendar alguma terapia, como feitas a base de LED. Como, também, pode prescrever medicamentos que vão variar de acordo com o seu quadro.

O poder das terapias

Quando o problema da caspa não é resolvido com mudança de hábitos, é melhor procurar auxílio médico. Por vezes, o dermatologista trata o problema por meio de medicamentos associados a terapias que, felizmente, são inúmeras, como massagens, aplicações a laser e esfoliações.

Dermatite seborreica caspa

Cada caso exige um tipo de terapia diferente devido às inúmeras causas do problema. No caso caspas causadas por maus hábitos e estresse, a melhor recomendação é o uso de sabonetes especiais a base de argila branca. Eles promovem um peeling, removendo células mortas e ativando a circulação.

Para a seborreia, que é a alteração no funcionamento das glândulas sebáceas, as alternativas são os tratamentos com argila e esfoliações especiais para reduzir a incidência de microrganismos e irritação. Problemas internos, como distúrbios hormonais, pedem a foto bio estimulação a laser, que estimula o envio de nutrientes aos cabelos pelo corpo, fortalecendo os fios.

Caspa, nunca mais!
Avalie este artigo

você pode gostar também
Você pode gostar