Cabelos oleosos: como controlar?

Dicas de hidratação para controlar a oleosidade excessiva dos fios mistos e oleosos, sem deixar de mão a saúde dos cabelos.

0

Quem tem cabelos mistos ou oleosos sabe bem como é: lavar demais resseca as pontas, mas, lavar de menos deixa a raiz mega gordurosa.

E aí, vem o dilema: cabelos limpos ou ressecados? Respira, menina, porque tem jeito pra tudo! Neste post, traremos dicar para combater a oleosidade excessiva sem abrir mão da hidratação.

Cabelos mistos têm raiz oleosa e pontas secas, enquanto cabelos oleosos possuem glândulas sebáceas que produzem, naturalmente, maior quantidade de sebo, até mesmo por questões hormonais.

Cabelo sujo

Outros fatores externos contribuem para o aumento da oleosidade da raiz, como água muito quente, produtos inadequados e excesso de uso do secador e chapinha.

Independente da causa, o resultado é sempre o mesmo: cabelos lavados e, pouco tempo depois, aquele aspecto gorduroso na raiz, como se os fios estivessem ser ver água há dias. Mas, algumas dicas podem auxiliar quem sofre com esse problema. Vamos lá?

  1. Lavagem alternada

Lavagem em excesso é prejudicial e em pouca quantidade, também. Quando a oleosidade não é retirada na medida ideal, a glândula sebácea produz mais sebo, portanto, o ideal é a lavagem em dias alternados. Ou seja, não passar dois ou três dias de cabelos sujos, mas, também, não lavá-los três vezes ao dia.

Mascara capilar

  1. Alternar os tipos de shampoo

Cada tipo de cabelo exige um tipo de shampoo. Afinal, os estudos realizados para o desenvolvimento de sua fórmula não é em vão, certo? Para cabelos oleosos, é indicado o uso daqueles que possuam tensoativos em sua composição, que são substâncias que se ligam às gorduras e sujeira, levando-as embora com o enxágue.

Elementos como o lauril sulfato de sódio proporcionam limpeza e a remoção do óleo. Mas, vale lembrar que, ao mesmo tempo que os tensoativos removem a oleosidade, levam consigo, também, a gordura natural. Daí, as glândulas sebáceas entendem que precisam produzir mais sebo, surtindo o efeito contrário.

Portanto, o ideal é alternar o uso de shampoos para cabelos oleosos com aqueles de cunho hidratante (ou, usar este uma vez na semana, de acordo com a necessidade detectada). Assim, você não deixa de combater a oleosidade com o produto ideal, mas, também, não remove a gordura natural responsável pela hidratação dos cabelos.

Vários shampoo

  1. Evitar calor próximo à raiz

Água quente e secador próximos à raiz são sinônimos de oleosidade em excesso. Isso acontece porque, ao aplicar ondas de calor nessa região, a produção de sebo é estimulada. E não adianta fritar o cabelo na água quente para, depois, jogar um fato frio, achando que resolveu o problema. Lá no começo, as glândulas já começaram suas atividades, então, já é tarde demais.

Por isso, o ideal é seguir as dicas que sempre repetimos por aqui: temperatura amena do secador, distância mínima de 15cm entre o equipamento e o couro cabeludo e lavagem em água fria (de preferência) ou morna.

Secador nos cabelos

  1. Cuidado com o excesso de condicionador

O objetivo do condicionador é simular o efeito da produção de sebo. Por isso, quem tem cabelos oleosos devem tomar cuidado com o uso desse produto, afastando-o da raiz.

O ideal é o uso daqueles em forma de gel, com fórmulas menos oleosas dos que são feitos em forma de creme. Caso não seja possível, procure usar o condicionador das orelhas para baixo, sendo recomendável o uso próximo à raiz apenas uma vez por semana.

Condicionador

  1. Uso cauteloso do shampoo anti-resíduo

À primeira vista, os shampoos anti-resíduos auxiliam no combate à oleosidade excessiva, uma vez que removem o acúmulo de agentes condicionantes dos fios e tiram o excesso de oleosidade. Porém, seu uso é recomendável para uma vez na semana. Seu alto poder de limpeza pode remover a cor dos cabelos tingidos.

Shampoo anti-resíduos

  1. Evite cremes sem enxágue

Uma das causas da oleosidade é o acúmulo de resíduos nos cabelos, que aumentam a produção de sebo por dois motivos: proliferação de fungos e obstrução não homogênea das glândulas sebáceas, ocasionando a compensação pelas demais.

Resultado: cabelos mais oleosos e, ainda por cima, doentes, em decorrência de uma possível dermatite.Sendo assim, o uso de cremes sem enxágue é dispensado e, no caso do uso, somente o fazer pontas.

  1. Umectação com óleos vegetais

O que??? Óleos vegetais em cabelos oleosos? Sim! Óleos naturais como os feitos de côco, alecrim, rícino e sementes (uva, maracujá) são usados para o tratamento da raiz.

O fundamento está no fato de que, aplicando-os nessa região, o organismo entende que não é mais necessário produzir mais sebo porque a necessidade lipídica consta como satisfeita.

O processo pode ser feito semanalmente ou quinzenalmente, aplicando o óleo da raiz até as pontas, deixando agir por até duas horas.

Lave-os com shampoo para cabelos oleosos, finalizando como o habitual. Mas, claro, esse uso deve ser feito com moderação para não surtir o efeito contrário!

Óleos

  1. Tratamentos capilares

A oleosidade pode ser combatida a partir de tratamentos capilares, tais como detox com argila, peeling e uso de tônicos. O detox com argila pode ser feito a cada 15, 20 ou 30 dias, desobstruindo os poros, controlando a oleosidade, caspa e queda e, de quebra, ajudando no crescimento dos fios.

A argila pode ser aplicada com água, nos cabelos úmidos ou secos. Ou, ainda, misturado à outros ingredientes, formando uma pastinha: vinagre de maçã, água de coco, mel, óleos vegetais, chás de ervas e água.

A pasta deve ser aplicada somente no couro cabeludo, com a ajuda de um pincel, massageando a região com as pontas dos dedos e deixando agir por até 20 minutos.

Pintando o cabelo

Se quiser, seu uso também pode ser associado ao peeling capilar. Este remove o excesso de pele e células mortas que vão se acumulando no couro cabeludo.

O peeling pode se feito na mesma proporção do detox com argila e surtem os mesmos efeitos deste tratamento (razão pela qual podem ser associados). Além do detox e do peeling, a aplicação dos tônicos anti queda são excelentes para controlar a oleosidade, fortalecer os fios e combater a caspa, desde que aplicados diariamente ou mediante a necessidade.

Há duas formas de uso. Tônicos feitos a base de extrato de jaborandi ou alho não têm o cheiro lá muito agradável, por isso, podem ser aplicados algumas horas antes da lavagem. Já tônicos feitos a base de gotas verdes são mais cheirosos, portanto, podem ser deixados nos fios.

  1. Shampoos a seco

Sabe quando aparece aquela festa de última hora ou reunião de emergência e você não tem como lavar os cabelos antes, mas, não quer aparecer com o aspecto gorduroso na cabeça? Para isso, servem os shampoos a seco.

Esses produtos são uma espécie de talco que ajudam a retirar o excesso de sebo do couro cabeludo devido à sua fórmula à base de amido de alumínio, que absorve a oleosidade e melhora o brilho.

Porém, seu uso diário não é recomendado porque não substitui a lavagem, ou seja, não remove a sujeira. Outro fato é que, assim como todos os outros produtos, o shampoo a seco gera resíduos que acabam se acumulando, obstruindo a saída dos poros de oleosidade. Ou seja, seu uso em excesso causa a oleosidade, o que ninguém quer, certo?

Shampoo a seco

Viram, meninas, como é possível reduzir a oleosidade excessiva? Abaixo, mais algumas dicas através de vídeos para ajudar vocês a resolver este problema!

Como combater o cabelo oleoso:

Dicas para quem tem cabelo oleoso:

Veja também: 

Cabelos oleosos: como controlar?
Avalie este artigo

você pode gostar também