Ômega 3: O importante aliado para sua saúde

Confira os Benefícios e malefícios do Ômega 3 para seus cabelos, corpo e pele, bem como as formas de obtenção.

0

Olá, meninas super-poderosas! Como vão vocês? Meninas, nos do Tudo sobre Cabelos, trataremos de um elemento muito, mas, muito importante para a nossa saúde. E, quando falamos isso, incluímos tudo: pele, corpo e cabelos. Gente, mas, que substância milagrosa é essa? É o Ômega 3, figurinha fácil no guias e recomendações médicas. Vamos ver por que?

O Ômega 3

São ácidos-graxos essenciais para o bom funcionamento do organismo. Também é tido como gorduras poli-insaturadas, ou, gorduras boas. São um tipo de gordura insaturada com ligações duplas na cadeia de hidrocarbonetos, e são o único tipo de gordura que o corpo humano é incapaz de sintetizar.

É a gordura que não pode, sob hipótese alguma, ser retirada da dieta em regimes. Desempenha funções importantes para o metabolismo e sua deficiência pode causar fadiga e dificuldade de concentração, além de problemas metabólicos.

São três os tipos de ômega 3, sendo eles:

  • Ácido alfa-linolênico (ALA): encontrado em óleos vegetais, nozes e nas sementes de linhaça, sendo o mais comum na alimentação brasileira;
  • Ácido eicosapentaenoico (EPA): obtido pelo consumo de peixes e leite;
  • Ácido docosa-hexaenoico (DHA): encontrado no óleo dos peixes, conhecido como “ômega 3 marinho”.

Para que serve o colágeno?

A receita do Ômega 3 como recomendação médica já é feita há muito tempo, em razão dos diversos benefícios que o nutriente traz para o organismo.

Dentre eles, podemos citar:

  • Cabelos mais fortes e saudáveis, pois, alimenta os folículos capilares, auxiliando no crescimento dos fios, além de evitar a queda
  • Pele mais bonita e saudável, através do estímulo de produção do colágeno e fibras de elastina. Além disso, mantém a elasticidade e flexibilidade da pele, protegendo, também, contra raios UV e clarear manchas.
  • Bom para o coração, ajudando a reduzir o colesterol, triglicerídeos e a coagulação sanguínea. Isso relaxa e diminui a inflamação nos vasos sanguíneos, que podem causar derrames e infartos. É responsável direto pela produção dos hormônios que controlam a contração e relaxamento das paredes arteriais.
  • Beneficia os olhos, protegendo contra a degeneração macular, problema que deteriora a visão fina, resultando em perda da visão central. Além disso, reduz a síndrome do olho seco ao proteger a retina.
  • Atua no sistema nervoso e cerebral, melhorando o foco, raciocínio e memória
  • Previne o câncer, sendo eficaz no combate ao tipos de câncer de próstata, mama e cólon. Também mantém as células normais de mutação na massa cancerosa.
  • Combate à depressão. Níveis baixos do nutriente em pessoas em quadro depressivo geram a diminuição das funções receptoras e neurotransmissoras. Ao ingerir o Ômega 3, há a melhora das membranas protetoras das células nervosas, assim como a produção de neurotransmissores, como dopamina e serotonina, influenciando, positivamente, no humor.
  • Beneficia os ossos, através da ação anti-inflamatória, que alivia os sintomas da artrite reumatóide.
  • Atua no sistema imunológico e no combate à inflamações
  • Combate o diabetes, ao atuar na redução dos níveis de glicose, além de melhorar a sensibilidade à insulina nas células dos músculos esqueléticos.
  • Beneficia as gestantes, ao fortalecer o feto e reduzir a probabilidade de um parto prematuro. Durante a lactação, pode contribuir para o desenvolvimento cerebral da criança.

A partir do consumo de ômega-3, ocorre a biossíntese dos ácidos graxos EPA (eicosapentaenoico) e DHA (docosahexaenóico) que, mesmo apresentando estruturas semelhantes, exercem funções distintas, mas, igualmente importantes no organismo. O EPA está relacionado à saúde cardiovascular, enquanto que o DHA é fundamental para o desenvolvimento do sistema visual e cerebral, além de estar associado à saúde materno-infantil.

Formas de reposição do Ômega 3

Diferente do colágeno, o Ômega 3 não é produzido, naturalmente, pelo nosso organismo. Isso significa que precisamos repor esse nutriente de outras formas.

O Ômega 3 pode ser consumido sob a forma de cápsulas e na alimentação. Neste caso, são alimentos que contêm o nutriente óleos vegetais (azeite de oliva, óleos de soja, cártamo e canola), peixes de águas profundas (salmão, atum, bacalhau, cavala, sardinha, arenque), castanhas, nozes, sementes de linhaça, quinoa e vegetais de folhas escuras (couve, couve de Bruxelas, vagem, espinafre), nabo, couve-flor.

Já as cápsulas são facilmente encontradas em lojas de suplementos e farmácias (convencionais e de manipulação). Mas, lembre-se, sempre, de procurar a orientação profissional quanto à quantidade correta do nutriente. Esse tipo de medicamento é contraindicado para pessoas que apresentam problemas de coagulação, pois, pode causar sangramento.

Há certa discordância quanto ao nível ideal de consumo diário de Ômega 3. A Sociedade Americana do Coração orienta o consumo de 4 gramas por dia, no entanto, essa é a quantidade que especialistas afirmam trazer problemas à saúde. Por isso, orientam porções de 1g a 3g diários.

É isso, meninas! Esperamos ter ajudado a esclarecer os benefícios do Ômega 3 para a sua saúde e que cuidem da ingestão desse nutriente, diariamente!

Grande beijo para vocês e até a próxima!

Ômega 3: O importante aliado para sua saúde
5 (100%) 3 votes

Você pode gostar

você pode gostar também